domingo, 1 de fevereiro de 2009

A raiz e os costumes em discussão no FSM

Os representantes do Instituto Crescer participaram de uma atividade com um grupo angoleiro, cujo nome é ASSOCIAÇÃO CULTURAL " Eu sou Angoleiro" Mestre João, onde rolou uma roda de conversa que discutiu a importância da raiz, da conservação dos costumes, do respeito com o seu superior e disciplina. Criticaram o comércio da capoeira no exterior, onde mestres vão para países da Europa para dar aulas para pessoas mais ricas e fazer apresentações em troco de dinheiro, a capoeira tem que ser simples e humilde, tem que ser raiz. Eles terminaram falando do respeito dos jovens, da preservação dos princípios, do respeito com os mais velhos e a preservação da tradição.


Texto:Marcelo Silva/Marcia Duarte
Edição e fotografia:Eduardo Bustamante
Postagen:Marcelo Silva
Fonte:Eduardo Bustamante

4 comentários:

Edu Bustamante disse...

Achei fantástica a discussão, pois no FSM as discussões mais valiosas foram aquelas menos badaladas e com as pessoas mais simples.

Marcelo disse...

eu tbm gostei pra caramba de ficar sabendo sobre essa discusão e aprendi um pouco mais sobre capoeira e eu confesso q n sabia muito...ou melhor eu n sabia quase nada rsrs

JULIO S disse...

A nossa raiz é esquecida sempre,
cultura, jogada de lado pela imensa maioria.

Anônimo disse...

Os costumes vem de geração e cada um deve cuidar do seu isso é o mais importante.




FELIPE SOLER.